domingo, 31 de julho de 2016

ÉRAMOS SEIS

Resenha por Mara Carvalho


Título: Éramos Seis
Autor: Maria José Dupré
Pulicação:1943
Editora: Ática
Páginas: 256

Pontuação: 5/5  

Resenha:


Escrito por Maria José Dupré, escritora brasileira, e publicado em 1943. Era a segunda obra da autora e lhe rendeu o prêmio Raul Pompéia da Academia Brasileira de Letras, em 1944.

O livro é narrado por Lola, a matricarca da família. Ela relembra o passado, na década de vinte, desde a infância dos filhos na Av. Angélica em São Paulo. Naquela época eram ela, o marido Júlio Lemos e os 4 filhos: Carlos, Alfredo, Isabel e Julinho. Daí o título do livro: Éramos seis.

O livro conta os vários anos da vida difícil e pobre daquela família. O trabalho diário, a bebedeira do marido, o sacrifício dela fazendo bolos, doces e salgados para vender e ajudar na despesa da família. O cuidado da mãe que sempre fez com que os filhos valorizassem e respeitassem o pai, mesmo sendo um pai que corrigia os filhos de forma grosseira, áspera, e que descontava nos filhos e nela as suas frustrações.

A luta para dar uma boa educação aos filhos também foi cuidadosamente relatado. Quando criança cada um sonhava com um destino, Carlos queria ser médico, Alfredo mecânico, Isabel professora e Julinho engenheiro.

Os gênios diferentes dos filhos: o estudioso, o rebelde, a vaidosa e o econômico. As traquinagens, as brigas, sonhos e conquistas de cada um foi contado pela mãe, que sempre foi muito amorosa.

As férias em Itapetininga na casa da mãe de Lola e a ajuda da irmã Clotilde.

A vizinha D. Genu, figura intrigante, cheia de história e lealdade para com Lola.

Tia Emília, a tia rica.

Durante a história revoluções acontecem em 1924 e 1932.

E os filhos cresceram e o trabalho continuou, e aquela mãe se desdobrando para ajudar cada filho.

O livro trata de forma muito real os sentimentos da mãe, o sacrifício para tentar dar a cada filho o que ele precisava. A preocupação com os estudos, o futuro.

Um livro tocante! Daqueles livros que você lê e sente que realmente podia ter sido verdade, porque as coisas são assim e a mãe nunca descansa para tentar dar uma vida melhor aos filhos. Lindo!

O livro foi adaptado para televisão, a novela foi gravada em 1977 pela rede Tupi e regravada em 1994 pelo SBT. Também foi base para um filme gravado na Argentina em 1945.

“Com o tempo, vamos aprendendo melhor os conflitos da vida; a própria vida vai nos ensinando a viver melhor, a compreender melhor e a sentir melhor. É a sabedoria da idade”

Gostei muito do romance, a autora escreve de uma forma tão gostosa que parecia que eu estava lá dentro da casa assistindo a todos os acontecimentos de pertinho. E eu virei fã desta mulher forte e batalhadora que era a dona Lola. E virei fã da autora, que escreveu o livro maravilhosamente bem!

Realmente imperdível!   Boa leitura!






O livro tem sequência com o a obra:  Dona Lola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Querido leitor, está com dificuldade para postar um comentário?
Siga os passos:
1- Digite no quadro o seu comentário.
2- Em "comentar como" escolha a opção nome/URL e digite seu primeiro nome
3- Não precisa escrever na opção URL
4- Clique em publicar.

Se aparecer a frase "EU NÃO SOU UM ROBÔ", basta seguir as instruções e depois publique.

Bjs